Publicado em 13/06/2018 20h46

Preço da soja continua pressionado no Brasil

Mercado está “mais para travado do que para negociado”, diz T&F

As cotações da soja tiveram nesta terça-feira (12.06) mais um dia de perdas no mercado físico, com influência da queda do Dólar (0,52%) e ligeira alta da Bolsa de Chicago (0,02%). De acordo com os índices do Cepea, apurados junto aos diversos participantes do mercado, em média os preços caíram 1,35% nos portos e 1,20% no interior do País.

Segundo o analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica, os preços continuaram “em termos”, pressionados no Brasil. De acordo com o especialista, isso ocorre porque o mercado está “mais para travado do que para negociado”. 

A T&F Consultoria Agroeconômica destaca que as pesquisas do Cepea desta terça-feira registraram queda de para as cotações da soja nos portos (4,72% no mês) e no interior do país (5,16% no mês). No Porto de Rio Grande, por exemplo, a cotação (ideia) foi de R$ 81,30/saca, contra R$ 81,70 do dia anterior e R$ 86,50 de uma semana atrás. No Oeste do PR a ideia de comprador era de R$ 76,00/saca, contra R$ 80,00 negociado há uma semana. No Porto de Paranaguá ideia ao redor de R$ 81,50/82,00. 

“Com a total indefinição dos fretes de longa distância no Brasil, os envios de soja para os portos e para as indústrias em outros estados fica grandemente prejudicada. Os gráficos do Cepea dão uma boa ideia de como está a atual tendência dos preços da soja no Brasil e, principalmente, o quanto ela deve subir para recuperar os bons níveis de 30 dias atrás. Mas, de um modo geral, o mercado está travado”, conclui o analista Luiz Fernando Pacheco. 

Autoria: Leonardo Gottems | Agrolink

  • Link:

Comente essa notícia

Agenda de Eventos
Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2014