Publicado em 25/03/2020 18h19

Importações de soja dos EUA pela China disparam no 1º bimestre

Compradores chineses também compraram mais grãos brasileiros recentemente para repor os baixos estoques.

As importações de soja dos Estados Unidos pela China nos dois primeiros meses do ano aumentaram seis vezes em relação ao mesmo período do ano passado, mostraram dados alfandegários nesta quarta-feira, com a chegada de cargas compradas durante uma trégua comercial entre os países.

A China, principal importadora mundial da oleaginosa, trouxe 6,1 milhões de toneladas de soja nos EUA no primeiro bimestre, ante cerca de 1 milhão de toneladas no mesmo período de 2019, quando os embarques ainda eram amplamente limitados por causa da guerra comercial sino-americana.

As importações vieram alinhadas com os embarques para a China pelos EUA em dezembro, que subiram para 3,09 milhões de toneladas, 44 vezes o nível do ano anterior.

Os processadores chineses compraram soja norte-americana em várias rodadas de compras após uma trégua comercial e depois que Pequim emitiu isenções a importadores que livraram compradores de tarifas extras em algumas cargas dos EUA.

    Os embarques do Brasil nos dois primeiros meses do ano chegaram a 5,14 milhões de toneladas, uma queda de 26% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Administração Geral das Alfândegas.

As importações totais de soja da China nos primeiros dois meses de 2020 aumentaram 14,2% ano a ano, para 13,51 milhões de toneladas, de acordo com dados alfandegários divulgados em 7 de março.

    As cargas dos Estados Unidos devem cair nos próximos meses, com a colheita brasileira chegando ao mercado no final de fevereiro e no início de março. O grão brasileiro mais barato oferece melhores margens de moagem para as usinas chinesas.

    Os compradores chineses também compraram mais grãos brasileiros recentemente para repor os baixos estoques depois que o surto de coronavírus interrompeu a produção doméstica.

Autoria: Reuters

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.