Publicado em 22/09/2014 20h23 - Atualizado em 22/09/2014 20h27

Leilão da VPJ Pecuária movimenta quase R$ 640 mil

Participação ativa de pecuaristas do Mato Grosso no remate aponta maior interesse pelo cruzamento como o Angus no Centro-Oeste.

Amparada pela qualidade que transfere à carne bovina, a raça Angus apresenta ótimo desempenho na pecuária brasileira. Por isso, segue muito valorizada, como aponta o resultado do Leilão Angus VPJ, que aconteceu no dia 6 de setembro, na Fazenda Cardinal, propriedade da VPJ Pecuária em Mococa (SP). Tanta qualidade em um só lugar resultou em quase R$ 640 mil em faturamento, com média de R$ 13.600,00 por animal. Cada touro foi disputado lance a lance pelos mais 200 pecuaristas presentes e também aqueles que acompanhavam a transmissão simultânea pelo site da MF Rural.

Em resumo, foi computada a participação de 25 investidores, de seis estados diferentes, com destaque para Mato Grosso. As vendas basicamente se dividiram em 47 touros, 5.100 doses de sêmen do VPJ BLACK DEPOT DENSITY 091 D e uma cota de 75% deste mesmo reprodutor, que foi destaque absoluto do leilão. Para se tornarem proprietárias deste reprodutor junto com a VPJ Pecuária, Francisco Ferreira Bonfim, de Cuiabá (MT), e a Calf Dorper, de Mogi Mirim (SP), desembolsaram quase R$ 60 mil. O primeiro ficou com uma cota de 50%, o segundo ficou com 25%. 

Mais um touro teve 75% de sua propriedade comercializada, o VPJ BLACK DANCE N WORTH. Os compradores foram CALF Dorper, que ficou investiu em 50%, e Carlos Alberto de Oliveira Filho, de Vargem Grande do Sul (SP), com 25%. Destaque também para os touros o VPJ BLACK DOBAK N WORTH e VPJ BLACK DORIGAN N WORTH, que seguirão para coleta de sêmen. “Este retorno coroou nosso trabalho de seleção e melhoramento genético, além do momento áureo experimentado pelas raças Angus e Red Angus, que ultrapassam as fronteiras do Sul do Brasil, contribuindo para melhorar a qualidade e porque não dizer a imagem da carne bovina nacional”, diz Valdomiro Poliselli Júnior, titular da VPJ Pecuária.

Giovane Gimenes Gobim, da NG Agropecuária, propriedade do Alto Araguaia (MT), destacou-se maior comprador do leilão, com dez aquisições no valor total de R$ 84.240,00. “Conheço o trabalho realizado pela VPJ Pecuária e estou com ótimas expectativas para essa genética. Já faço cruzamento dos Angus com o Zebu, mas essa será a primeira vez que usarei touros puros para o serviço a campo”, explica o investidor, ressaltando que o mercado de meio-sangue Angus/Zebu caminha muito bem no Mato Grosso. 

O pecuarista Vilson Gonçalves de Oliveira, da Fazenda Sangradouro, com unidades em Poconé e Cáceres, endossa a qualidade e o desempenho conseguidos pela genética VPJ no Mato Grosso. É cliente há três anos e começou comprando doses de sêmen. No ano passado resolveu experimentar touros puros e ficou surpreso com o resultado. “Com o sêmen VPJ atingia taxas de prenhez formidáveis, em torno de 85%. Quando os touros chegaram e começaram a trabalhar, percebi que realmente cumpriam o prometido. São bem adaptados e cobriram a vacada facilmente, quase sem sentir o calorão que faz aqui nesse lado do Mato Grosso”, relata Vilson. Em relação ao programa de produção de carne, diz que os touros agregam precocidade e rendimento de carcaça ao rebanho e marmoreio à carne. O gado vai para o gancho, em média, aos 18 meses de idade, pesando entre 14 e 16 arrobas.

Autoria: Texto

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2014