Publicado em 16/10/2014 16h46

Frente fria traz granizo para o Rio Grande do Sul

O sistema deve chegar ao Sudeste no próximo dia 20 e diminuir o calor

gotas-de-chuva2

Uma frente fria sobre o Uruguai associada a instabilidades no Sul do país provocou chuvas no Rio Grande do Sul na manhã desta quinta, dia 16. Os maiores acumulados foram de 50 milímetros em Rio Grande, 47 mm em Canguçu e cerca de 20 mm em Tramandaí, Bagé e Mostardas. Além dos temporais, a capital Porto Alegre registrou granizo e rajadas de vento de 60km/h.

– Esta chuva é apenas um indício do que vem pela frente – alerta o meteorologista da Somar Celso Oliveira.

Segundo ele, um novo núcleo de tempestades já avança para a região da Campanha gaúcha. As áreas mais atingidas pelas chuvas fortes serão os Vales, a região Metropolitana, a Serra e o sul do Estado, com volumes em torno dos 50 milímetros, valor que corresponde a quase a metade da média do mês.

Como essa chuva fica mais forte no leste do Rio Grande do Sul, o risco de temporais é menor na região de fronteira com a Argentina. Em Uruguaiana, duas mil pessoas estão desabrigadas por causa da cheia do Rio Uruguai. A sexta, dia 17, também será chuvosa, principalmente no norte do Estado.

Essa frente fria é a grande expectativa da volta da chuva para as áreas produtoras do Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Entre os dias 20 e 21 de outubro, o sistema será responsável por pancadas de chuvas

– Não podemos esquecer que a chuva volta, mas ainda com uma distribuição e volume irregulares. Os acumulados variam dos 20 aos 35 milímetros no decorrer da semana que vem – diz Oliveira.

Essa chuva também servirá para diminuir o calorão, que piora ainda mais a situação de estresse hídrico das plantas. No interior de São Paulo, a temperatura tem ficado acima dos 40ºC. O calor chegou a ser recorde em Valparaíso, com 41,2º. Foi a terceira temperatura mais alta já registrada na história das medições, que começaram em 1961. Temperatura ainda mais alta foi verificada em Iguape, em fevereiro de 1933, quando fez 43ºC, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Nesta semana, os termômetros alcançaram os 37,8ºC em Franca, recorde histórico absoluto. Esse calor tem prejudicado não só as lavouras, mas também a pecuária, em diversas regiões. Em Mato Grosso do Sul, as matrizes dos suínos estão morrendo por conta das altas temperaturas. Para o Centro-Oeste, a chuva também volta a partir da semana que vem, diminuindo um pouco as temperaturas. Para o norte de Mato Grosso a expectativa é de chuvas mais volumosas, de até 80 milímetros.

Autoria: Canal Rural

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.