Publicado em 16/05/2024 20h09

Celebração do Dia do Queijo Artesanal é marcada por conquista histórica para o setor queijeiro de MG

Uma portaria decisiva e muito aguardada pelo setor vai regulamentar a produção do Queijo de Casca Florida Natural.
Por: Marco Tulio Jaques Pereira


O Queijo de Casca Florida Natural é um queijo artesanal tradicional de Minas Gerais, feito com leite cru de vaca e maturado por no mínimo 30 dias

Em um dia já marcado pela celebração do Dia do Queijo Artesanal de Minas, os produtores do estado têm ainda mais motivos para comemorar. Foi anunciado que durante o Festival do Queijo Artesanal de Minas, que será realizado entre os dias 13 e 15 de junho, no Expominas, em Belo Horizonte, o governador Romeu Zema, o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e diretor-geral do Instituto Mineiro de Agricultura (IMA), Antônio Carlos de Moraes, assinarão a portaria que regulamenta a produção do Queijo de Casca Florida Natural (foto).

A conquista é resultado de um árduo trabalho conjunto entre o Sistema Faemg Senar, o IMA, produtores e pesquisadores. A minuta do regulamento, elaborada após um processo de consulta pública, visa atender às necessidades do setor queijeiro, assegurando, ao mesmo tempo, a qualidade e segurança alimentar do produto.

Para o gerente de Relações Institucionais e Governamentais do Sistema Faemg Senar, Altino Rodrigues Neto, a regulamentação do Queijo de Casca Florida Natural é um passo importante para o fortalecimento da identidade do produto mineiro para a valorização da produção artesanal de queijo no estado.

“Essa é uma vitória dos nossos produtores. Praticamente todas as sugestões que fizemos foram aceitas e farão parte da portaria a ser publicada", comemora.

Sobre o Queijo de Casca Florida Natural - O Queijo de Casca Florida Natural é um queijo artesanal tradicional de Minas Gerais, feito com leite cru de vaca e maturado por no mínimo 30 dias. Sua característica marcante é a casca florida, formada por uma camada natural de mofo branco comestível que confere ao queijo um sabor e aroma únicos.

Frank Barroso Mourão é presidente Comissão Técnica do Queijo Minas Artesanal e destaca o papel da regulamentação para garantir a qualidade e a integridade dos produtores ao comercializarem o produto.

“A portaria trará para nós, produtores, o ordenamento da produção, da maturação e da comercialização do queijo. Ajudamos a criar as normas para essa cadeia produtiva funcionar até chegar na mesa do consumidor. Queremos ver o queijo formalizado e regulamentado nas prateleiras de Minas Gerais, do país e do mundo, mostrando a qualidade do queijo mineiro”, afirmou.

Minas, Berço dos Queijos Artesanais - Minas Gerais ostenta uma das mais antigas tradições queijeiras do país, com métodos de produção que remontam ao século XVIII e são transmitidos de geração em geração. O estado concentra 9 mil produtores de Queijo Minas Artesanal, responsáveis pela produção de cerca de 40 mil toneladas anuais.

Atualmente, 30 mil produtores mineiros garantem a produção anual de 40 mil toneladas de QMA, fonte de renda para diversas famílias rurais. O modo artesanal da fabricação do QMA foi registrado como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Hoje, 112 queijarias estão registradas no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) com o Selo Arte, o que permite a comercialização em todo país. O objetivo do Governo de Minas é ampliar o número de queijarias registradas, retirando o produtor da informalidade, e aumentar o número de microrregiões reconhecidas como produtoras de queijo artesanal.

As dez regiões reconhecidas pela produção do Queijo Minas Artesanal são: Araxá, Canastra, Campos das Vertentes, Cerrado, Serra do Salitre, Serro, Triângulo Mineiro, Serras da Ibitipoca, Diamantina e Entre Serras da Piedade ao Caraça.