Publicado em 10/07/2017 18h53

Seca em região produtora de trigo dos EUA eleva preços e impulsiona apostas nas Bolsas

Preço do trigo de primavera na Bolsa de Grãos de Minneapolis já subiu 40% em pouco mais de um mês

Trigo - Embrapa-2
Altas temperaturas e clima seco nos estados de Dakota do Norte e do Sul e Minnesota castigaram principalmente o trigo de primavera(Foto: Rafale Tovar/CCommons)

A seca na região das Grandes Planícies está dizimando uma parcela importante da produção de trigo nos Estados Unidos, levando os preços da commodity a atingirem patamares históricos e impulsionando as apostas nos futuros do cereal. O preço do trigo de primavera na Bolsa de Grãos de Minneapolis subiu 40% em pouco mais de um mês, superando o desempenho da soja e milho.

Segundo dados da bolsa, o volume e a participação em junho e julho quebraram uma série de recordes. "As pessoas foram forçadas a prestar atenção nesse mercado", disse Michael McDougall, diretor de commodities do Société Générale em New York, acrescentando que seus clientes começaram a apostar no mercado futuro de trigo de primavera. A proporção de fundos de hedge e outros gestores de capital com apostas nos contratos de trigo de primavera quase dobrou desde maio, segundo dados da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos Estados Unidos (CFTC).

Os agricultores dos EUA semearam a menor área com trigo em um século neste ano. O fortalecimento do dólar e o crescimento da produção em países como a Rússia tornaram o cereal norte-americano menos competitivo, levando produtores a abandonar a cultura e migrar para milho e soja. Nas últimas semanas, as altas temperaturas e o clima seco nos Estados norte-americanos de Dakota do Norte e do Sul e Minnesota castigaram principalmente o trigo de primavera - valorizado pelo seu alto teor de proteína, que o torna adequado para a produção de pães e bolos.

A parcela da safra norte-americana de trigo de primavera em condição boa ou excelente caiu para 37% na semana encerrada no dia 2 de julho, pior nível em quase 30 anos, disse o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda) em seu último relatório. Em igual período do ano passado, a proporção de lavouras em condição boa ou excelente era de 72%.

Após o pregão desta segunda, o USDA deve atualizar esses dados. "Eu acho que ninguém esperava" que as condições climáticas desfavoráveis fossem afetar tão negativamente as lavouras a ponto de mexer com o mercado, disse Virginia McGathey, trader de opções de grãos na Bolsa de Chicago (CBOT).

A área plantada de trigo nos EUA tem diminuído há décadas, mas os rendimentos altos estavam compensando esse recuo, mantendo a produção relativamente estável. Mas a menor área pode tornar os preços do trigo mais vulneráveis a períodos de seca em regiões áridas como as Grandes Planícies, disse o Rabobank. Fonte: Dow Jones Newswires.

Autoria: Estadão Conteúdo

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2014