Publicado em 12/01/2021 22h55

Algodão transgênico ajuda erradicar praga no México

Praga também é encontrada nos EUA

`

Uma colaboração entre a Universidade do Arizona, produtores de algodão e parceiros governamentais e industriais erradicou o verme rosa, uma das pragas mais prejudiciais do mundo, dos Estados Unidos e do México. Durante grande parte do século passado, o verme rosa do algodão causou estragos no sudoeste dos Estados Unidos e no norte do México, infligindo dezenas de milhões de dólares em danos anuais ao algodão em ambos lados da fronteira. 

"Embora o verme rosa continue sendo uma praga avassaladora em mais de 100 países, nossa coalizão estratégica livrou os Estados Unidos e o México desse inseto invasor", disse o principal autor do estudo, Bruce Tabashnik, professor da Regents no Departamento de Entomologia do Universidade do Arizona. 

"Ao analisar simulações de computador e 21 anos de dados de campo do Arizona, descobrimos que o algodão geneticamente modificado e a liberação de bilhões de mariposas rosa estéreis agiram sinergicamente para suprimir essa praga", disse Jeffrey Fabrick, co-autor do estudo e entomologista pesquisador do Serviço de Pesquisa Agrícola do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. 

Nativo da Australásia, região que inclui Austrália, Nova Zelândia e algumas ilhas vizinhas, o verme rosa é um dos insetos mais invasores do mundo. Depois que as mariposas fêmeas colocam seus ovos nas plantas de algodão, as lagartas eclodem, perfuram as cápsulas do algodão e devoram as sementes que contêm.  

Essa praga voraz foi detectada pela primeira vez nos Estados Unidos em 1917. Usando dados de campo de 1969, o novo estudo estima que mais de 200 bilhões de lagartas do verme rosa infestaram campos de algodão no Arizona naquele ano. 

Autoria: Leonardo Gottems | Agrolink

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade
A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.