Publicado em 12/01/2021 22h57

Aprosoja finaliza primeiro estudo sobre fertilizantes utilizados em MS

Fósforo apresentou maior desconformidade com 68%

`

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS) finalizou o levantamento sobre a qualidade dos fertilizantes utilizados no estado. O elemento que representa entre 20 e 22% do custo total da produção agrícola, apresentou divergência, principalmente no município de Caarapó.

Segundo os técnicos responsáveis pelo estudo, os fertilizantes também apresentaram divergências em coletas realizadas em propriedades rurais dos municípios de Amambaí, Campo Grande, Dourados, Naviraí e Ponta Porã.

De acordo com a Aprosoja/MS além dos custos com os fertilizantes, justifica o estudo técnico, a confirmação da composição da sua fórmula e eficácia, a fim de garantir uma positiva nutrição das plantas, sem comprometimento ao desempenho da cultura.
O levantamento se limitou em analisar, nesta primeira etapa, os elementos mais comuns: nitrogênio, fósforo e o potássio. Das amostras que apresentaram divergência, em relação ao proposto, foi o elemento fósforo que apresentou maior desconformidade com 68%.

O estudo contemplou mais de noventa propriedades distribuídas nas principais regiões produtoras no estado. No total foram coletadas 103 amostras, que foram enviadas para análise em laboratório certificado. O projeto foi idealizado pela Aprosoja/MS, no intuito de levantar a qualidade dos fertilizantes no estado e mostrar ao produtor a importância de se realizar a análise de todos os insumos adquiridos pelo agricultor.

A segunda fase do projeto irá abranger uma área ainda maior do estado, expandindo as amostragens para mais associados da Aprosoja. E contará com o apoio do governo do estado, através de recursos do Fundems.

Autoria: Lucas Rivas | Agrolink

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade
A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.