Publicado em 10/05/2021 22h30

Importação de fertilizantes foi 12% maior de janeiro a abril nos portos do Paraná

Insumo representou 43% do total de produtos importados por meio dos terminais de Paranaguá e Antonina no período

`

Os fertilizantes representaram 43% do total de produtos importados por meio dos Portos de Paranaguá e Antonina de janeiro a abril. Foram 3.221.386 toneladas, 12% acima das 2.875.263 toneladas do primeiro quadrimestre de 2020. Só em abril, foram descarregadas 830.191 toneladas de fertilizantes, 13% a mais que nos mesmos 30 dias de 2020, de 734.234 toneladas.

A descarga de malte e cevada soma 234.977 toneladas neste ano até abril, alta de 21% de alta na comparação com o primeiro quadrimestre do ano passado, quando foram 193.560 toneladas importadas. Considerando a movimentação apenas em abril, o aumento registrado na importação chegou a 2.511%, informa a Portos do Paraná. Enquanto em abril de 2020 foram importadas 2.998 toneladas de cevada e malte; este ano, no mês, foram 78.260 toneladas.
Com aumento significativa na descarga de produtos dos segmentos de Carga Geral e Granéis Sólidos, os terminais de Paranaguá e Antonina movimentaram 18.262.189 toneladas no período, segundo a Portos do Paraná.

"Fechamos os primeiros quatro meses do ano com movimentação 1% maior que a registrada no mesmo período de 2020. As chuvas e o atraso na chegada da soja prejudicaram as exportações, enquanto as importações tiveram alta de 12% no período", explica o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Do volume total, entraram no Brasil 7.444.115 toneladas de cargas estrangeiras em 2021. No ano passado, foram 6.628.630 toneladas. No segmento de carga geral, o primeiro quadrimestre de 2021 registrou 1.785.909 toneladas de produtos importados, ante 1.427.162 toneladas em igual período de 2020. Somente no mês de abril, o aumento registrado na comparação 20/21 foi de 8%, para 422.838 toneladas, contra 391.333 toneladas.

Autoria: Estadão Conteúdo

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade
A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.