Publicado em 26/05/2021 19h59

Agrovilas no Maranhão recebem primeiras antenas de conectividade via satélite

Além de gerar maior produtividade e geração de renda, a conectividade em áreas rurais permite a difusão do conhecimento a partir da prestação de assistência técnica online

`

Sete agrovilas quilombolas do município de Alcântara (MA) são os primeiros Assentamentos Conectados pela ação de ampliação da conectividade rural do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Os pontos de internet banda larga no modelo satélite foram inaugurados nesta quarta-feira (26) pela equipe da Pasta e representantes dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC) e Educação.

A ministra Tereza Cristina participou da cerimônia em link ao vivo e destacou a importância da conectividade aliada à assistência técnica e extensão rural. "Precisamos investir nas pessoas do Maranhão. Em breve estarei aí vendo o nosso trabalho de assistência técnica funcionando, para trazer renda e dignidade para esses produtores rurais", disse. 

Além de gerar maior produtividade e geração de renda no campo, a conectividade em áreas estritamente rurais permitirá difusão do conhecimento a partir da prestação de assistência técnica e capacitação online. A chamada Ater 5.0 é uma alternativa complementar à assistência técnica e extensão rural convencional, a qual permite que os agricultores recebam orientações técnicas rotineiras e emergenciais de forma online. Essa modalidade educacional registra significativo crescimento no país e caracteriza-se como oportunidade, também, de manter o jovem no campo ao proporcionar ensino de qualidade.

Em Alcântara, os pontos que receberam as antenas de conexão são: Associação da Agrovila de Só Assim; Escola Municipal Antonio Lobo; Associação da Agrovila Espera; Associação da Agrovila Ponta Seca; Posto de Saúde da Agrovila Cajueiro; Escola Municipal Deputado Saboia; Posto de Saúde da Agrovila de Pepital.

O secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Fernando Camargo, participou do evento e lembrou a importância da conectividade para a assistência técnica rural. “Essa comunidade precisa se desenvolver com muita tecnologia e informação, e para isso precisamos de internet”, disse, destacando que a comunidade tem uma importante vocação para a agricultura familiar. 

O líder comunitário da Agrovila Cajueiro Luiz Diniz celebrou a chegada da internet na comunidade. “A comunidade está em festa. Como meio de comunicação, a internet veio ajudar a comunidade, as crianças a poderem assistir aula. É uma parceria do governo federal e da comunidade, buscamos sempre esta parceria”.

Internet via satélite

O secretário-adjunto de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Cléber Soares, explica que a conectividade via satélite é ideal para produtores pouco tecnificados, que não exigem grande quantidade de conexões. A tecnologia satelital permite a comunicação de dados em banda larga a partir de faixa dedicada a essa transmissão com qualidade para locais remotos e de difícil acesso. É o caso da região amazônica, onde cabo de fibra óptica e antenas não chegam ou sua viabilidade é remota. 

A iniciativa dos Assentamentos Conectados prevê 156 pontos de conectividade em regiões brasileiras de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) a partir de conectividade via o satélite do programa Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac). Pela iniciativa dos Assentamentos Conectados, já foram instalados 51 pontos nos estados de Alagoas, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba e Sergipe.

A ação é realizada pelo Mapa em articulação com o MCTI, Ministérios das Comunicações, Saúde e Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (ANATER).

Ainda participaram do evento os ministros da Ciência, Tecnologia e Inovações, astronauta Marcos Pontes; da Educação, Milton Ribeiro, o secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Vitor Menezes. 

Autoria: Mapa - Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade
A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.