Publicidade
Publicado em 17/06/2022 08h23

Uso de drones elimina perdas causadas por máquinas na plantação de soja durante aplicação de defensivos

O uso do drone agrícola ajuda na melhoria da aplicação foliar na lavoura, atuando no aumento da produtividade e gerando mais lucratividade
Por: Assessoria de Imprensa

A aplicação de defensivos agrícolas e nutrição foliar, normalmente feita por tratores com tanques pulverizadores, acarreta um certo amassamento da soja. Onde as rodas das máquinas passam, prejudica as plantas, que ficam incapazes de finalizar seu ciclo, já que esse problema ocorre, na maioria das vezes, com a soja maior e nos estágios finais da sua vida. Existem dados de perdas de 10% de produtividade em área total, por conta desse acamamento das plantas ou até mesmo morte delas.

Dentro das vantagens do uso do drone agrícola, o sistema de plantio tem verificado a eliminação do amassamento da soja.

A utilização de drones no campo está mudando esta realidade e facilitando este manejo com segurança, facilidade de operação, mais eficácia e maior eficiência. Segundo o diretor de vendas da EAVISION, empresa global de drones, com atuação em nível mundial desde 2016, Julio Pignata Branco, dentro das vantagens do uso do drone agrícola, o sistema de plantio tem verificado a eliminação do amassamento da soja, rapidez na aplicação, certeza do contato do produto com a planta, menor deriva, melhor alcance, melhor assertividade em alvos como fungos, insetos ou plantas daninhas. “Desta forma, o produtor tem menos perdas de produtos e ganhos na efetividade das aplicações”, aponta. “Além da possibilidade de realizar as aplicações em datas mais definidas, já que são rápidas, acertando assim o momento exato que a planta precisa dos produtos, principalmente para nutrição que devem ser aplicados no estágio exato, para melhor contribuição com seus processos metabólicos”, detalha Branco.

Outra vantagem operacional citada por Julio Pignata Branco é sobre a calda de produtos, que não precisa ser grande, facilitando o manuseio e não ocorrendo sobras, evitando desperdício, uso impróprio de produtos e melhorando a sustentabilidade do meio ambiente. “Além disso, o fato de diminuir as derivas, não deixam que os produtos afetem a natureza ao redor, matas, animais, plantações, nascentes ou rios”, afirma.

Desafio Nacional de Máxima Produtividade comprova melhoria da produtividade com uso de drones

O Comitê Estratégico de Soja no Brasil (CESB) realizou no primeiro semestre o Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja no Brasil. Anualmente, o concurso visa reconhecer os melhores sojicultores do país, estimular os produtores a aumentarem suas produtividades, melhorando os manejos agrícolas realizados na área desde o preparo do solo, correção do solo, escolha de variedades certificadas, melhor plantabilidade, diminuição nas perdas de produção causadas durante o ciclo da planta, melhoria no controle de pragas, doenças e plantas daninhas, tecnologia de aplicação, escolha de produtos eficientes, colheita eficaz e mais sustentabilidade, respeitando todas as normas legislativas do meio ambiente.

O Desafio apresentou as vantagens do uso de drone agrícola para aplicação de produtos foliares na cultura da soja e comprovou o aumento de produtividade.  A empresa Ubyfol em parceria com a cooperativa Copercana e a EAVISION, inscreveram a área de soja do no concurso. O produtor de soja parceiro tem o perfil de investimento em tecnologia e procura atingir melhores produtividades, além de sua área ter alta fertilidade do solo, o que contribui com melhores resultados.

O Desafio da CESB visa maior produtividade e todas as aplicações de defensivos agrícolas e dos produtos de nutrição foliar da Ubyfol foram realizadas via drone agrícola da EAVISION, o que possibilitou eliminar essas perdas causadas pelas máquinas.

Após a colheita, verificou-se um ganho de 4 sacos por hectare em relação às áreas padrão, visto que o preço do saco de soja esteve comercializado a R$ 175,00 (25/04/2022), com um ganho de R$ 700,00 por hectare. Ao subtrair o valor da aplicação de drone por hectare (R$ 200,00) e a utilização dos produtos de nutrição que foram utilizados além do padrão do produtor (R$ 90,00), o resultado apontou um ganho em relação ao seu padrão de R$ 410,00 por hectare. Ou seja, se o produtor utilizar em uma área total de 100 hectares o uso do tratamento via drone agrícola EAVISION, terá um ganho de R$ 41 mil no primeiro semestre. “Já é um fato no campo que o uso do drone agrícola, ajuda efetivamente na melhoria da aplicação foliar na lavoura, atuando no aumento da produtividade, gerando para o produtor mais lucratividade”, conclui o diretor de vendas da EAVISION Julio Pignata Branco.

Sobre a EAVISION

A EAVISION foi fundada em 2016  e entrou no mercado brasileiro em 2022. Com percepção visual binocular e controle autônomo de inteligência artificial como tecnologia principal, desenvolve e fabrica robôs e aeronaves remotamente pilotadas  inteligentes adequadas para ambientes complexos ao ar livre. O algoritmo de inteligência artificial é a principal vantagem da tecnologia exclusiva da empresa.

A equipe de pesquisa e desenvolvimento da empresa é liderada por especialistas em controle automático de renome mundial. Atualmente, possui 53 patentes de invenção, 60 patentes de modelo de utilidade e 17 PCTs.

A pesquisa e desenvolvimento e aplicação da tecnologia de visão binocular 3D resolvem o problema da visão binocular. Visão em ambientes externos complexos, fantasmas em aplicações práticas, interferência/reflexo da luz solar, computação de alta velocidade, calibração em tempo real e outros problemas comuns de classe mundial. A empresa desenvolveu e expandiu equipamentos de máquinas inteligentes e softwares aplicados em diversas áreas e cenários, envolvendo agricultura, energia elétrica, identificação de obras, tratamento médico e transporte ferroviário, etc. Entre eles, a mecanização e inteligência de cenários agrícolas são o foco principal da EAVISION atualmente. Ao mesmo tempo, a empresa desenvolveu de forma independente o único sistema comercial de detecção de emasculação de milho do mundo.

Acesse: www.eav.top