Publicidade
Publicado em 28/10/2014 13h49

Importação fica 9% acima em setembro, aponta Abiquim

O Brasil importou US$ 4,2 bilhões em produtos químicos em setembro, segundo a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). O valor representa queda de 1,4% em relação a agosto deste ano, mas um aumento de 8,9% sobre setembro do ano passado.
Por: DCI - Diário do Comércio & Indústria

qumicos

Os produtos químicos mais importados foram os intermediários para fertilizantes, cujas compras externas totalizaram US$ 750 milhões no mês. Já as exportações, de US$ 1,3 bilhão, em setembro, registraram aumento de 11,3% na comparação com agosto e de 12,2% em relação ao mesmo período de 2013.

No acumulado do ano, as compras externas de produtos químicos somam US$ 34,1 bilhões, uma redução de 1% frente ao mesmo período de 2013, ao passo que as vendas externas alcançaram US$ 10,8 bilhões, valor 1,9% superior ao registrado entre janeiro e setembro de 2013.

O déficit na balança comercial de produtos químicos, até setembro, chegou a US$ 23,2 bilhões, valor 2,4% abaixo do registrado em igual período de 2013. Nos últimos 12 meses (outubro de 2013 a setembro deste ano) foi registrado déficit de US$ 31,4 bilhões confirmando estabilidade observada nos últimos meses.

Para o presidente-executivo da Abiquim, Fernando Figueiredo, a renovação em caráter permanente do Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras (Reintegra) estimulará exportações industriais brasileiras, mas a alíquota geral de restituição de 3% ainda é considerada insuficiente para desonerar as vendas externas de produtos químicos.

"Entendemos que o Reintegra permanente instala ambiente de segurança jurídica e permite objetivamente o planejamento empresarial de longo prazo de exposição ao mercado externo. Contudo, ainda é necessário adequar o regime a um patamar que corresponda à realidade dos tributos pagos e não recuperados do processo de industrialização, principalmente em cadeias longas como a indústria química", destaca Figueiredo.